terça-feira, 3 de novembro de 2009

Animação - PowerPoint e Movie Maker (2º Ano)

Usando o PowerPoint e o MovieMaker

Para transformar imagens estáticas em animação, há os programas PowerPoint e MovieMaker (ambos na Microsoft), entre outros. Não são programas difíceis de ser aprendidos. De modo geral e sintético, pode-se dizer que:

No PowerPoint, inicia-se com um layout em branco, inserindo cada imagem digitalizada (desenho ou fotografia) em um slide. A velocidade de transição entre os slides é que dará a impressão de movimento. Recursos como som e outros efeitos dependem da exploração das ferramentas, do aprendizado e tempo possível para a produção.

No MovieMaker, é preciso iniciar importando as digitalizadas (desenhos ou fotografias) e depois arrastá-las para a caixa do storyboard, formando a sequência. Pode-se importar também o áudio, como música ou narrações. Depois, é preciso ir a “Linha do Tempo” para ajustar a velocidade de cada quadro. Em seguida, pode-se “Editar” o filme, com efeitos de vídeo e transições, além de títulos e créditos. Depois d animação testada e aprovada, é preciso salvar como filme


video
Ao transformar a apresentação em vídeo, ela fica com os movimentos um pouco mais lentos que no original do PowerPoint. Foi feito a partir de clip arts do próprio programa, a cada slide devemos mover minimamente cada figura em relação a anterior e com o intervalo zero de transição, transmite a sensação de movimento.

Alguns exemplos de animações até bem simples podem ser encontradas no YouTube:
http://www.youtube.com/watch?v=H514ttQ6r2A (Animação bem simples com a música Equalize da Pitty.
http://www.youtube.com/watch?v=ikubi4-W1Dw (Apenas um ponto)
http://www.youtube.com/watch?v=bLhPWwkYcqo (Stickman Guitarrista do Blink-182
http://www.youtube.com/watch?v=OXjw99c28mk
Outros mais podem ser encontrados

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O Buraco no espelho

O Buraco Do Espelho

Arnaldo Antunes

Composição: Edgard Scandurra / Arnaldo Antunes

o buraco do espelho está fechado
agora eu tenho que ficar aqui
com um olho aberto, outro acordado
no lado de lá onde eu caí

pro lado de cá não tem acesso
mesmo que me chamem pelo nome
mesmo que admitam meu regresso
toda vez que eu vou a porta some

a janela some na parede
a palavra de água se dissolve
na palavra sede, a boca cede
antes de falar, e não se ouve

já tentei dormir a noite inteira
quatro, cinco, seis da madrugada
vou ficar ali nessa cadeira
uma orelha alerta, outra ligada

o buraco do espelho está fechado
agora eu tenho que ficar agora
fui pelo abandono abandonado
aqui dentro do lado de fora


terça-feira, 13 de outubro de 2009

Jingles

Jingle é aquela musiquinha que não sai da nossa cabeça e é feita exclusivamente para vender algum produto; algumas delas acabam tornando-se Cult, ficam gravados na histórica como pequenas peças de arte; acabam ganhando vida própria.

Principais características:

  • Facilidade de memorização;
  • Texto enxuto contendo as principais características do produto;
  • Testo em forma de poesia ou verso.

Jingles:

Chevrotlet
video

Guaraná Antárctica:


videoAdicionar vídeo


video


video

Links:

sábado, 16 de maio de 2009

Patrimônio Cultural de Mauá - Registros Expressivos

Trabalhos - 1ª Série do ensino médio - EE Jd. Cruzeiro - Mauá

1ª Série G
Beatriz, Bianca, Daniela, Pamela e Stephanie

video

1ª Série G
Aline, Jéssica, Lucas Fernandes


video

1ª Série F
Jessica, Luana, Mayara




video

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Dia do Índio

Em comemoraçâo ao Dia do Índio, o Museu Barão de Mauá está com a exposição intitulada "Índio Brasileiro".

Onda fica: Museu Barão de Mauá, rua Dr. Getúlio Vargas, 276, Vila Guarani.

Horário: de terça a sábado, das 9h às 16h. Informações: 4519-4011.

Fonte: Jornal de Mauá-Abril 2009-Informativo da Prefeitura de Mauá e Agenda Cultural-Abril 2009.

DIVULGAÇÃO

Centro de Inclusão Digital - Câmara Municipal

Inaugurado em 24/03, funciona no saguão de entrada da Câmara Municipal é equipado com 10 computadores com acesso à Internet, a população pode usar os computadores para pesquisas, trabalhos escolares, elaboração de currículos e outros documentos.

Para usar o CID: preencher um cadastro na própria Câmara.

Tempo de uso: 30 minutos para cada solicitação.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h.

FONTE: Jornal de Mauá-Abril 2009-Informativo da Prefeitura de Mauá.

PARA NÃO ESQUECER

Ação Expressiva - 1 Série - EM

Registros expressivos do patrimônio cultural

É necessário conhecermos os monumentos históricos de nossa cidade, procurar saber se há edifícios tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico. Um bom lugar na nossa cidade para a coleta de dados, é o museu Barão de Mauá, procure pelo núcleo de História.

Proposta: criar registros expressivos do patrimônio cultural da cidade, podendo ser por meio de grafites (executar o grafite sobre outro suporte que não seja a parede, exemplos: papelão, madeirite, e outros); criação de jogos (podem ser de tabuleiro ou cartas ou ainda digitais, mas dentro do tema); coleção de postais com fotografias ou desenhos; folhetos semelhantes aos de turismo (na dúvida, vá a uma agência de turismo e peça um, para você ter de exemplo).

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Uma pequena expedição cultural - 1º Série - EM









Para não esquecer

Proposta referenciada em trabalho de Jorge Macchi.

O que fez Jorge Marcchi: Sobre um mapa de Buenos Aires, colocou uma placa de vidro e a quebrou, o acidente provocado criou caminhos que foram percorridos por ele e por dois colaboradores, a poeta Maria Negroni e o compositor Edgardo Rudnizky. A Experiência vivida resultou na obra Buenos Aires tour, um livro-objeto. Produzido em 2003 apresenta 8 itinerários com46 pontos escolhidos, textos, fotos e sons subvertem o que esperaríamos de um guia, pois inclui o que inesperadamente se encontra nas ruas.

Links:
http://www.distrito4.com/biografia.asp?Id=12#
http://www.buenosaires.gov.ar/areas/com_social/audiovideoteca/artes_visuales/macchi_bio2_es.php
http://jorgemacchi.com/eng/obras_1.htm
http://jorgemacchi.com/eng/obra10.htm

A sua expedição

Tem o objetivo de descobrir aspectos que passam desapercebidos no cotidiano, ou que podem parecer insignificantes.

Procedimentos
Delimitar um pequeno trajeto (um quarteirão, por exemplo). Para ser percorrido a pé, com os olhos bem atentos.
Fazer as anotações no lugar apropriado.

O que podemos registrar
Fotos, sons, cores, formas, arquitetura, movimento dos transeuntes, meio ambiente, etc.

Para que possamos notar estas coisas no nosso caminhar, é necessário transformar a qualidade de nossa atenção, temos que ver e enxergar, deixar o olhar encontrar aquilo que estava lá mas não era notado, o imprevisível......

Finalização
Além da apresentação da expedição em sala de aula, criar um mapa ou um folder usando as informações e dados coletados na caminhada sensorial.

Outras possibilidades complementares
Podemos fazer um vídeo usado um celular ou um maquina fotográfica digital e o Windows Movie Maker™; ou mesmo uma apresentação em powerpoint™ ou programa similar.